Tudo que você precisa saber para se livrar do melasma

Tudo sobre o rejuvenescimento íntimo vaginal
6 de dezembro de 2018
Quais são as formas de prevenir a perda de contorno do rosto?
4 de janeiro de 2019

Melasma não tem cura, mas pode ser tratado de forma bem eficaz. Hoje em dia existem diversas alternativas na dermatologia estética para devolver a coloração normal da pele

 

Dia desses fiz uma publicação em minhas redes sociais perguntando qual era o tipo de mancha que mais incomodava minhas seguidoras. A maioria disparada respondeu que era melasma.

Por isso, resolvi escrever um texto sobre  este assunto que atormenta a vida de muitas pessoas, principalmente mulheres. Vamos lá!

 

O QUE É MELASMA?

 

Melasma são manchas escuras que aparecem na pele. Geralmente, estas marquinhas surgem  com mais frequência no rosto, mas podem acometer também colo, pescoço e até mesmo braços.

Homens e mulheres podem sofrer com esta condição de saúde, mas as meninas têm mais chances de ter melasma do que os meninos. Isso porque as mulheres passam por diversas alterações hormonais ao longo da vida, um dos fatores mais comuns que desencadeiam o problema.

 

QUAL A CAUSA?

 

Não existe causa definida para o surgimento do melasma. O que se sabe é que alterações estão relacionadas ao uso de anticoncepcionais, gravidez e exposição solar. Além de exposição a luz visível e predisposição genética.

 

COMO É REALIZADO O DIAGNÓSTICO?

 

A partir do momento que a pessoa começa a perceber o surgimento de manchas de formato irregular e pigmentação amarronzada nas maçãs do rosto, testa, nariz e lábios superiores é essencial buscar auxílio de um dermatologista.

No consultório, o médico especialista em tratar problemas de pele realizará a análise do paciente e verificará seu estilo de vida, uso de medicamentos contraceptivos, gravidez e histórico familiar.

 

TIPOS DE MELASMA

 

Durante o diagnóstico, de acordo com a distribuição da mancha, o médico pode classificar o seu tipo de melasma. Veja quais podem ser:

Epidérmico – Quando o depósito de melanina está apenas na camada superficial da pele (epiderme);

Dérmico – A mancha atinge a camada intermediária da pele (derme), que é composta por diversos tecidos com diferentes funções;

Misto – Neste caso, o depósito atinge a derme e a epiderme.

 

É POSSÍVEL PREVENIR?

 

Sim! Use protetor solar diariamente, de preferência com cor e com FPS 30, pelo menos, mesmo quando ficar em ambientes fechados ou o dia estiver nublado.

Isso porque mesmo que esteja nublado, o Sol ainda está atrás das nuvens. E dentro do escritório temos as tão temidas luzes visíveis (luz de LED, tela do computador, do celular e do tablet).

Uma dica que gosto de dar para as minhas pacientes em relação ao uso do protetor solar é a seguinte: passe primeiro o protetor solar sem cor e por cima dele o protetor solar com cor. Desta forma, você terá a proteção ideal da pele.

Não se esqueça também de evitar a exposição solar e quando fizer, use roupas com proteção solar, chapéus e não se esqueça de retocar o filtro solar a cada 3 horas. Saiba que mesmo debaixo do guarda sol você está vulnerável ao aparecimento das manchas, pois só o calor já é um fator de risco.

Quando for utilizar anticoncepcional, não se esqueça de procurar um ginecologista para te indicar a dosagem correta deste tipo de medicamento.

Aposte em produtos antioxidantes que previnem danos causados pelos radicais livres em nossa pele.

 

TRATAMENTOS

 

Existem diversos tipos de tratamentos para o melasma. Claro que o método varia de acordo com o tipo de problema que a pessoa tem. Mas vou contar quais são os procedimentos que mais gosto para tratar este tipo de mancha:

  • Laser Elektra – Eu amo este laser! Além de tratar manchas de melasma de forma profunda, ele ainda proporciona o rejuvenescimento da pele, pois estimula a produção de colágeno. Tratando assim linhas finas. Pode ser realizado em qualquer tipo de pele. Assim que termina a sessão, a paciente já está pronta para retomar suas atividades normais do dia a dia.
  • Endymed – O microagulhamento robótico de ouro traz excelentes resultados para o tratamento de melasma. Geralmente são necessárias de 3 a 6 sessões, de acordo com a indicação do caso.
  • Tratamento clínico – Neste caso, indico o uso de cremes específicos para cada paciente. Por isso, sempre digo: não adianta usar o produtinho da amiga no seu rosto, pois não vai melhorar o problema. Muito pelo contrário. Pode até piorar.

Ah! E normalmente os peelings podem piorar as manchas, então tomem cuidado com a indicação de tratamentos por profissionais não especializados.

 

MELASMA NÃO TEM CURA

 

Após realizar o tratamento, as manchinhas foram embora para nunca mais voltar. Correto? NÃO! NADA DISSO! Melasma não tem cura. Os tratamentos adequados controlam as manchas e em alguns casos até podem fazer com que elas desapareçam completamente.

No entanto é imprescindível continuar o acompanhamento com um dermatologista e não abrir mão dos cuidados diários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *